Orion [2017] – Review / Resenha | ProGGnosis

ProGGnosis

From Brazil Ultranova plays some very interesting instrumental Prog/Jazz/Space Rock.

Orion is their first album and consists of four 3 to 5 minutes instrumentals sandwitched by two longer tracks. The four shorter pieces allow the band to explore different musical styles (melodic ballad, high energy rocker, jazz…). The two longer tracks are more in a classical Prog format (an opening theme that evolves into other sections then returning to the first theme and ending with a climax). The two lead musicians, Thiago Abuquerque on keys and Daniel Leite on guitars get many occasions to shine and complemenent each other very nicely. The rythm section of Priamo Brandão on bass and Henrique Penna on drums gives the music some discrete swing, and both musicans get to shine on occasion.

Personally I prefered the shorter tracks, the band finding a way to be very creative and progressive in a tighter format. Both longer tracks offer a lot of great musical moments, but the musicans tend to repeat the main themes while introducing variations on them. In my humble opinion both pieces would have gained in conciseness if they had been shorten by a couple of minutes.

In conclusion Orion by Ultranova is a very promising first album and I think that fans of 70’s Camel, Happy The Man and even Snarky Puppy will find much to enjoy here.


ProGGnosis

Do Brasil, Ultranova toca um Prog/Jazz/Space Rock bastante interessante.

Orion é seu primeiro disco que contém quatro composições instrumentais de 3 a 5 minutos entre duas outras faixas mais longas. As quatro mais curtas permitem que a banda explore diferente estilos musicais (balada melódica, rock com alta energia, jazz…). As duas músicas maiores são em formato mais Prog (com temas de abertura que desenvolvem outras variações e retomam o tema primordial finalizando com o clímax). Os dois músicos principais, Thiago Albuquerque no teclado e Daniel Leite nas guitarras brilham em diversas ocasiões e se complementam um ao outro muito bem. A parte rítmica com Príamo Brandão e Henrique Penna na bateria traz um discreto suingue às músicas, e ambos os músicos aparecem bem ocasionalmente.

Pessoalmente eu preferi as faixas mais curtas, a banda encontra maneiras de ser muito criativa e progressiva nestes formatos mais curtos. As faixas maiores trazem grandes momentos musicais, mas os músicos repetem os temas principais enquanto introduzem variações. Em minha humilde opinião ambas poderiam ganhar mais consistência se fossem encurtadas em alguns minutos.

Como conclusão Orion da Ultranova é um álbum de lançamento muito promissor e acredito que os fãs da década de 70 de Camel, Happy The Man e até Snarky Puppy encontrarão muito o que apreciar aqui.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: